sábado, 7 de julho de 2012

Sobre as reviravoltas da vida...


Depois de uma semana tensa e cheia de surpresas, já consigo tocar no assunto sem sofrer tanto. Após 15 anos trabalhando na mesma empresa, dia 26/06 fui comunicada sobre meu desligamento. O motivo alegado foi diminuição no quadro de funcionários e eu teria sido “a escolhida”. Mas a verdade é outra. Foi simplesmente a vingança de um diretor covarde que nem na hora de me dispensar teve a hombridade de admitir que  estava sendo mandada embora por me negar a fazer um trabalho que não tinha nada a ver com minha formação e que não me acrescentaria em nada, pelo contrário...
Fui comunicada assim de supetão, sem chance nem para me despedir das pessoas. Pode até ser muito comum as coisas acontecerem desta forma por aí, mas não onde eu trabalhava... Nestes 15 anos, poucas pessoas foram mandadas embora e as que foram, cumpriram aviso, tiveram tempo de se preparem e de se despedirem com calma. Comigo foi assim: “hoje é o seu último dia!”.  Um choque! Bocuda como sempre foi minha fama, na hora fiquei sem reação, sem chão... Arrumei em uma caixa todos os meus pertences, que não eram poucos e fui embora arrasada. Chorei durante quase meia hora conversando com o Jú no estacionamento da empresa e sai!

Sei que Deus tem seus caminhos e tudo acontece na hora certa. Só não gostaria que estivesse acontecido desta forma. Acho que eu merecia um pouco mais de respeito... 
Hoje estou melhor. Graças a Deus tenho memória muito curta e logo nem me lembrarei mais deste triste episódio.

Sobre o que fazer? Ainda não sei. Ainda não consegui pensar. A única coisa que quero é curtir meu pequeno, descansar um pouquinho e depois decidir que rumo vou tomar na vida.